Dica: Lenço Demaquilante ♡

 

 

 

Alô galera de cowboy! Dei uma sumidinha durante 1 mês e, talvez, continuarei nesse ritmo porque minha vida anda meio corrida. Mas vou tentar ao máximo não ficar 1 mês sem postar. Pois a saudade de postar aqui, bate. E bate mais ainda preguiça de ligar o computador…

2014-08-10 16.01.39

Digamos que estou de volta”. E voltei com uma ótima dica para vocês, meninas, que estão de saco cheio dos familiares reclamando ”quem foi que sujou a toalha de rosto com rímel? Já falei que é para parar com isso!!!”.

  São os lencinhos demaquilantes da NIVEA para tirar a make! Estou amando porque é super prático, baratinho e tira tudo! Vende em qualquer farmácia e custa R$ 23,00. Barato, não? E olha, dura que é uma beleza!

#caralimpacomNIVEA

 

 

Beijos

 

Sobre pessoas cegas que enxergam.

Pior do que o Brasil perder, é o Brasil ter pessoas que se quer ajudam uma senhora na rua cega dos dois olhos atravessar a rua. É sério. Foi triste. Triste não. Deprimente. Deprimente não. Pensa em algo muito ruim, assim: MUITORUIMMESMO. E põe aqui. É isso.

Foi ontem a tarde quando eu estava indo para minha casa. E enquanto eu atravessava a rua para ir em direção ao metrô ali da Cardeal Arcoverde, em Copacabana, ouço – GRAZADEUS – uma senhora gritando pedindo ajuda para atravessar a rua. E pior, a rua estava lotada de gente. Como ouvi? Sei lá. A música estava bem alta e a galera gringa misturando os idiomas dificultava. Parecia que eu estava dentro do metrô em horário de pico. Mas não.

Tristeza define o que senti ao vê-la chorar pedindo ajuda e agradecendo dizendo coisas que me deixaram tremendo; sem reação. Espero que tenha chegando em casa tranquila. Pois, pra mim, foi louco. Vi todos que recusaram a ajudá-la cegos. Cegos não dos dois olhos. Mas cegos por não enxergarem o futuro e ver que lá na frente pode ser cada um.

E para mudar o mundo você não precisa de muito. Não precisa varrer o calçadão de um bairro a outro. Não precisa agradar a gregos e troianos, etc., basta fazer a tua parte. Num simples gesto. Numa simples ajuda. Em qualquer coisa que você sinta que fez sua parte. Seja lá o que for. Te mude por completo e te faz enxergar o mundo de outra forma. As pessoas de outra forma e a si mesmo, principalmente.

Esse mundo é louco mas – rapaz – as pessoas são mais. E relaxa! O mundo não dá voltas, te dá uma voadora e te deixa no chão e quando você vê – VIXXXXXXXXXXXX!!!!! Já foi.

A Copa é do David Luiz!

Faço esse post para agradecer, não apenas por ser um dos melhores jogadores da seleção, mas por ser diferente dos que já tiveram essa honra e perderam qualquer respeito fazendo um churrasco comemorando a eliminação.

Foi a pior derrota de todos os tempos para a seleção brasileira; um vexame – assumimos. Mas soubemos, ao entrar em campo, que a Alemanha estava mais preparada. Tinham um time experiente que já caminhavam juntos há 6 anos. Ao invés do time recuar depois de ter tomado o primeiro gol, não. Queriam atacar de qualquer maneira. Mas ok. Bola pra frente, não é?

Falando sério. SÉRIO.

Foi lindo o depoimento do zagueiro. Lindo não. EMOCIONANTE. Tem algo mais bonito do que ser nacionalista e honrar a bandeira? Certeza que não. E digo mais, não precisa se desculpar. Não foi dessa vez. Mas tenho (quase) certeza que em 2018 vocês todos estarão tão preparados e experientes quanto. Há tempo. Alemanha, caso ganhe, será o 4º título, Argentina, 3º e a Holanda – tadinha – nunca ganhou um mundial.

E não. Não precisa se desculpar, dava para perceber que você e toda equipe, embora tenham tomado uma voadora do adversário, jogaram de coração. Mas como jogar de coração não ganha título, pelo menos vimos a ‘verdade’ no olhar de cada um dos jogadores. Ao contrário da última Copa que nem nas semi-finais chegamos. Parabéns! Continue assim. Alegrando cada um de nós brasileiros e claro, o resto do mundo, com esse carinho e calor que transmite a galera toda!

E quero parabezinar ao resto da seleção também, principalmente: Oscar, Thiago Silva, Marcelo, Bernard, Neymar (embora só tenha jogado BEM – BEM a primeira partida), Ramirez, VALEU!

E fica aqui as 34 vezes em que David Luiz mostrou por que merece ser o ídolo do momento:

http://www.buzzfeed.com/manuelabarem/34-vezes-em-que-david-luiz-mostrou-por-que-merece-ser-o-idol

 

”Eu só queria dar alegria pro meu povo que sofre tanto por tanta coisa, queria pedir desculpa. — David Luiz”

Beijô!

Música da Madrugada ♡

Eu vejo que aprendi
O quanto te ensinei
E é nos teus braços que ele vai saber
Não há por que voltar
Não penso em te seguir
Não quero mais a tua insensatez

O que fazes sem pensar aprendeste do olhar
E das palavras que guardei pra ti
Não penso em me vingar
Não sou assim
A tua insegurança era por mim

Não basta o compromisso
Vale mais o coração
Já que não me entendes, não me julgues
Não me tentes
O que sabes fazer agora
Veio tudo de nossas horas
Eu não minto, eu não sou assim
Ninguém sabia e ninguém viu
Que eu estava a teu lado então
Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Sou minha mãe e minha filha,
Minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser
Sou Deus, tua deusa,meu amor
Alguma coisa aconteceu
Do ventre nasce um novo coração

Não penso em me vingar
Não sou assim
A tua insegurança era por mim
Não basta o compromisso

Vale mais o coração
Ninguém sabia, ninguém viu
Que eu estava ao teu lado então

Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Sou minha mãe e minha filha,
Minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser
Sou Deus, tua deusa, meu amor
Baby, baby, baby, baby

O que fazes por sonhar
É o mundo que virá prá ti e prá mim
Vamos descobrir o mundo juntos baby
Quero aprender com o teu pequeno grande coração
Meu amor, meu Chicão…”

1º de julho de 2014.

435354Eu gosto de começo de mês. Primeiro dia útil. Primeiro dia que podemos mudar os 30/31 dias que estão por vir.

Eu gosto daquela sensação de que o mês será melhor do que os que passaram. E que o próximo, será melhor do que esse que estamos começando a vivenciar. Gosto das promessas, das paixões, da fé que apostamos no primeiro dia do mês. Que tudo será diferente, que os erros do passado não irão se repetir. E os fantasmas que assombram, expulsamos com nosso lindo e meigo dedo do meio e um sutil ”vai tomar no cu”. É isso. Eu gosto do primeiro dia útil assim como gosto do ano novo. Pois mesmo que as promessas falhem, que esqueçamos metade do que foi prometido. Tentamos. E desejamos para nossas vidas que tudo de melhor aconteça. E é aí que vemos a força da nossa fé.

Que sejamos felizes do dia 1º de julho à eternidade.

 

O ciclo.

A vida é um ciclo e eu me sinto tão cansada que poderia me aposentar aos 19 se pudesse.

Na TV, assisto as mesmas coisas. Os noticiários parecem sempre os mesmos. Melhor, não parece. SÃO os mesmos. É é sempre assim. Exatamente assim: Fulano morreu, ciclano foi assaltado, uma criança foi assediada sexualmente, políticos prometem e não cumprem. Ativistas vão a rua protestar por querer um país melhor e são presos, oprimidos pelos supremos, torturados, etc. É isso. 

Os filmes são repetidos e eu? Não me canso de assisti-los. Mentira. Canso sim. E não me canso de mentir pra viver bem. Sério? Não. Estou mentindo novamente. 

Os livros da estante já foram lidos e relidos, no mínimo 3x. Meu relacionamento já foi vivido, no mínimo, 2. E não me canso. Disso não.

Ciclo. É aquilo que não acaba. Vai de lá para cá, de cá para lá e assim vai. Não para. Não muda. Não há melhoras. Mas há reza. 

Sobre amar e comer pizza.

large

Eu amo.

Sim. Eu amo e me apaixono cada dia mais.

Cada hora, cada minuto, cada segundo, cada milésimo de segundo esse sentimento aumenta.

REPITO: Eu amo.

Você aí já parou pra pensar em botar na ‘balança’ dois sentimentos opostos que conseguem se equilibrar de alguma forma? Pois é. É mais ou menos assim que me sinto em relação a amar e comer pizza.

Por que fiz um um post com esse título? Sei lá. Vou tentar explicar:

Eu, quando mais nova, não gostava de pizza. Na verdade, depois da coxinha, só me importavam os doces. Principalmente os pirulitos de chupetinhas que eu me lambuzava toda e deixava a casa toda cheia de formiga. Os sorvetes que eu implorava minha mãe para comprar pois adorava a sensação do cérebro congelando. As balas juquinhas e as de tamarindo. Os chocolates em formatos de moeda, guarda-chuva e bola de futebol. E os chicletes que vinham figurinhas. Outros, vinham tatuagens de caminhoneiro. E os adultos não tinham dó nem piedade de botar uma coisa dessas dentro das embalagens de chicletes para crianças. Acho que nunca pararam pra pensar que as esponjas quando passadas com força, machucam. E como eu chorava. E olha, se hoje metade das pessoas dos anos 80 e 90 estão cheias de tatuagens, vamos culpar o MESTRE YODA das tatuagens de chicletes infantis.

A primeira vez que o vi foi como entrar na pizzaria pela primeira vez, sentir o gosto pela primeira vez, querer os diversos sabores de uma pizza em um rodízio só. Eu sabia que seria encrenca. Mas eu gostava disso e não me importava com as calorias. Até as caganeiras noturnas eram satisfatórias. Pois eu gostava de tudo que estava acontecendo. Das coisas novas que estavam surgindo e dos sabores diferentes que tinha numa pizza só.

Não lembro muito bem da minha vida antes dos 13 anos de idade, mas  nosso primeiro rodízio foi aos 15. Era meu aniversário. E foi onde eu percebi que aquilo se tornaria nisso tudo que somos hoje  embora fiquemos um tempo sem nos comunicar. Era pra ser. E, meu amigo, quando é pra ser, você tem 2 opções: ou você cede, ou você cede.

Sei que parece estranho pra muita gente esse post, mas o que eu quero dizer com tudo isso é que eu nunca pensei em mudar por alguém, ceder quando tem que ceder. Na verdade, nunca pensei em amar. Nem amar pizza o quanto amo hoje em dia. E são duas coisas que antes de encontrar alguém eu evitava, corria e esperava algum teletransporte cair em meu quarto para eu me teletransportar para qualquer lugar longe de tudo e – principalmente – do que ameaçava tirar meu sossego.